Clique e ouça
Carregando ...
Apresentação
Emanuel-carneiro
Coluna do Emanuel Carneiro
13/10, 13:15 h / Atualizado em 13/10, 13:18 h

A Rússia está mais perto

A Rússia está mais perto

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Os quatro primeiros jogos de Tite no comando da Seleção Brasileira nos trouxeram um alívio imenso na tabela e, da 6ª posição, pulamos para a liderança, que é o lugar em que sempre devemos ficar. Dunga não tinha boa relação com jogadores, com a imprensa, quis implantar um comportamento militar com direito a cartilha de boas maneiras. E o pior: nunca foi e dificilmente será um bom técnico.

Tite abriu as portas de casa, recuperou jogadores, é atencioso, bem informado, fala com os técnicos das equipes brasileiras e assiste aos jogos nos locais, e não pela TV.

Deu uma parada técnica antes de voltar ao túnel e voltou melhor.

Tudo isso não quer dizer que a batalha da classificação está ganha e estamos prontos para a grande guerra de 2018. Falta muito, mas o importante é saber que o time tem um sonho, não há nenhum campeão do mundo no elenco e isto sinaliza uma vontade incrível, como aconteceu, por exemplo, nos Jogos Olímpicos com a seleção do Micale. Muitos estão hoje com Tite, e vale como experiência e aprendizado.

Temos dez jogos disputados e faltam oito. Alguns muito difíceis, como a Argentina no Mineirão, o Uruguai em Montevidéu, o Peru em Lima, a Colômbia em Barranquilla e a Bolívia na altitude de La Paz.

Não temos ainda a seleção dos sonhos, mas começam a aparecer nomes como Gabriel Jesus, Philippe Coutinho, Casemiro, laterais de primeira linha como Daniel Alves e Marcelo e a diferença que faz o Neymar em campo. A 18ª e última rodada vai ser disputada no final 2017 e, até lá, alguma novidade pode aparecer, o que é comum no futebol brasileiro.

A próxima partida é em novembro, contra a Argentina, no Mineirão. Os hermanos vão apostar todas as fichas, ainda mais contando com Messi, pois neste momento estão na zona de repescagem e ameaçados por Paraguai e Chile.

O pesadelo de Dunga passou. A Rússia ficou bem mais perto.

Comentários

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).

Ouvindo: