Clique e ouça
Carregando ...
Apresentação
Jose-lino-souza-barros
Coluna do José Lino Souza Barros
02/01, 10:12 h

Chega o ano novo e estranhamos sempre esse número

Chega o ano novo e estranhamos sempre esse número

Do escritor português José Luís Peixoto

Dois mil e dezessete, até custa a dizer. Ainda há pouco estávamos com medo do ano 2000, havia incerteza nos telejornais, temíamos que os computadores deixassem de funcionar, temíamos o fim do mundo. No entanto, do ponto de vista apocalíptico, 1 de janeiro de 2000 foi um dia como os outros, com mais ou menos ressaca. (...)

Há poucas semanas, estive numa universidade, onde conheci um professor que nasceu em 1989. Os bebês que nasceram em 1999 e 2000 serão seus alunos em breve. Da mesma maneira, falta pouco também para que 2017 seja um número normal, um ano sem estranheza, do qual teremos memórias. Perante 2030, haverá quem recorde o conforto de 2017 com saudade.

Falta também pouco para que esse professor nascido em 1989 seja decano, falta ainda menos para que os alunos nascidos em 1999 e 2000 sejam professores universitários também.

Iremos engolir 2017 com todos os seus ângulos e, depois de errarmos o preenchimento da data em formulários por duas ou três vezes, havemos de aprender. Em março, já estaremos preparadíssimos para o outono de 2017.

Acho que parte da surpresa destes anos e números acontece por nunca termos realmente imaginado que viveríamos tanto. Havia a ideia abstrata, mas o ano novo e o seu número chegam concretos e sem apelo. 2017: agora, está aqui. E é melhor habituar-se, nunca mais poderá voltar atrás.

E habituamo-nos sempre. O tempo surpreende-nos com a sua crueza, mas a aceitamos. Somos adultos há demasiado tempo.

Comentários

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).

Ouvindo: