Ouça a rádio

Compartilhe

Bolsonaro diz que 'exagerou' sobre confiança em Milton Ribeiro, mas diz que 'bota a mão' no fogo por ele

Presidente saiu em defesa do ex-ministro no dia em que ele teve a soltura determinada pela justiça

Em live, Bolsonaro saiu em defesa de Milton Ribeiro

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse ter 'exagerado' ao afirmar, em março, que colocaria a "cara no fogo" pela inocência do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro.

"Eu falei lá atrás que eu botava a cara no fogo por ele. Eu exagerei, né? Mas, eu boto a mão no fogo pelo Milton. Assim como boto por todo os meus ministros. Pelo que eu conheço, dificilmente alguém vai cometer uma ato de corrupção", afirmou em live transmitida no seu canal de Youtube nesta quinta-feira (23).

Um dia depois de afirmar à Itatiaia que "se a PF prendeu, tem um motivo", o presidente Jair Bolsonaro (PL) saiu em defesa do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro. Ele teve a soltura concedida pela Justiça Federal nesta quinta-feira (23).

O presidente disse que o ex-ministro não cometeu crime de corrupção, mas de tráfico de influência, o que ele diz considerar ser "comum".

"Não foi corrupção, da forma como tá acostumado a ver nos governos anteriores. Nada disso. Foi história de tráfico de influência. É comum", afirmou.

Bolsonaro disse, ainda, que "continua acreditando" em Milton Ribeiro e que ele vai responder ao processo "se aparecer alguma coisa".

Ainda durante a transmissão, Bolsonaro disse que foi o próprio Milton Ribeiro que levou o caso para investigação, ao procurar a Controladoria-Geral da União (CGU) sobre dois pastores que teriam influência no Ministério da Educação. O presidente também minimizou um áudio em que o ministro disse que era prioridade atender aos pedidos dos pastores - que também foram presos e, depois, soltos por ordem da justiça.

"A PF pegou o relatório da CGU e começou a investigar e o assunto foi para o juiz de 1ª instância, em Brasília tão logo começou a surgir uma conversa do Milton, de que os pedidos seriam preferencialmente indicados pelo pastor tal. Isso não foi nada de mais, foi só para dar uma moral para ele", afirmou.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido